Grupo de Estudos para Personal Trainer - Ciência no TEF

João Moura
"Professor João Moura nasceu em Cruz Alta (RS) em 1971. Em 1992 ingressou na UFSM (Universidade Federal de Santa Maria) para seus estudos no Curso de Ed. Física."

       

Realizar rotação externa do quadril, altera ativação dos vastos e isquiotibiais?

Clique aqui para baixar o artigo

É muito comum observar nas academias a execução do agachamento livre com uma rotação externa do quadril, ou seja, apontando os pés para fora. Esta estratégia é aplicada pelos profissionais quando se tem como objetivo aumentar o trabalho dos adutores. Porém, uma dúvida que pode surgir é se essa variação produzira alguma alteração na ativação dos isquiossurais e vastos da coxa.

Portanto, neste estudo que compartilhamos agora (Ninos et al., 1997) o objetivo foi analisar a influência de realizar ao agachamento com uma rotação externa de 30° do quadril.

Como foi feito?

Foram selecionados 25 voluntários destreinados (11 mulheres e 14 homens) com idade entre 18 a 35 anos. Previamente a coletado, a massa corporal e também padronizado da posição dos pés, igual a distância biacromial, foram realizadas. Após os voluntários foram familiarizados com a amplitude do exercício (até 60° de flexão dos joelhos) e também a velocidade de execução (2s para excêntrica e concêntrico).

Em seguida, os voluntários foram submetidos a executar o agachamento em duas condições:

- Agachamento quadril neutro (A0°): realizou-se três repetições com uma quilagem igual a 25% da massa corporal. Os pés foram posicionados da largura dos ombros e, apontados para frente 

- Agachamento Com rotação do quadril (A30°): realizou-se três repetições com uma quilagem igual a 25% da massa corporal. Os pés foram posicionados da largura dos ombros e, porém com uma rotação do quadril de 30°.

Ao longo das repetições foram realizados o monitoramento eletromiográfico a cada 10° do vasto lateral, media, semitendinoso/semimenbranoso e bíceps femoral.


E ai, quais os resultados?

Não ocorreu mudança significativa no nível de atividade muscular ao realizar uma rotação externa do quadril. Além disso, observou-se que o vasto medial e lateral alcançaram ativação maior durante 50-60° de movimento em relação a 10-20° na fase descendente (excêntrica). Já durante a fase ascendente (concêntrica) o vasto medial demonstrou maior ativação entre 60-50° e 50-40° comparado a 20-10°. 


Além disso, o comportamento de ativação do semimenbranoso/semitendinoso e bíceps femoral cabeça longa foi de aumento na fase excêntrica e redução na concêntrica, como se pode visualizar na figura abaixo.


Ta e daí? O que eu faço com isso?

Portanto, parece que não há alteração na ativação dos vastos da coxa (vasto medial e lateral), semitendinoso/semimenbranoso e bíceps femoral, ao realizar o agachamento com 30° de rotação externa do quadril até 60° de flexão dos joelhos. Desta forma, utilizar rotação externa para alterar o trabalho do quadríceps ou isquiotibiais não parece ser uma estratégia efetiva.  

De um passo adiante em
sua carreira!
Grátis
Acesso Imediato


  Voltar para a página do Curso

Depoimentos dos alunos

Voltar ao topo